w

Acompanhem tecendoasabedoria, e fique antenado sobre diversos assuntos sobre teologia, Filosofia, Ciência, Biologia,Astronomia,Geografia, Mitologia, Literatura, Astrologia, Arqueologia, Geologia, Física, História, Religião, Culturas, Povos, Folclore,Psicanálise, Ateismo, Agnosticismo, Tribos, Rituais e diversos outros assuntos de importância a humanidade

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Albert Einstein e o sumiço das abelhas em 2012


Albert Einstein e o sumiço das abelhas em 2012
"Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana." disse Albert Einstein.

Albert Einstein (14 de março de 1879 - 18 de abril de 1955) foi um físico alemão conhecido por sua Teoria de Relatividade. Albert Einstein ganhou o Prêmio Nobel da Física de 1921.
Em 2008 uma pesquisa realizada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e observadores de apiários revelou que 36% das 2,4 milhões de colméias pereceram devido ao distúrbio do colapso das colônias.
Esta catástrofe afeta as colônias de abelhas nos Estados Unidos desde os anos 1980, mas se intensificou nos últimos anos. Nos Estados Unidos até 60% das abelhas teriam sumido na Califórnia e mais de 70% em algumas regiões da costa leste e no Texas no inverno de 2006/2007. Esta dizimação em massa de populações de abelhas está ocorrendo em diversos países sem uma causa definida. Em algumas regiões da Europa foi registrado o sumiço de até 80% da população de abelhas.
A razão para este desaparecimento de abelhas pode ser o uso excessivo de toxinas e produtos químicos usados na agricultura ou o impacto causado de plantas geneticamente modificadas, que poderia causar uma redução do sistema imunológico dos insetos.
O curioso é que as abelhas não estão morrendo nas colméias nem as colônias estão sendo atacadas por outros insetos, mas elas ficam desorientadas e não conseguem retornar para as colméias. Ainda não se sabe o que faz estes animais perder o senso de orientação.

Um comentário:

  1. Espantoso... a situação, vi em alguns documentários! E agora como vai esta situação no mundo?

    ResponderExcluir